Este ano todo negócio, voltado a vendas e prestação de serviços, precisou se movimentar para digitalizar processos, performance de vendas, entender melhor a jornada do cliente e se reinventar. Para facilitar essa busca, a Liga Ventures, em apoio com o iDEXO, acaba de lançar o Liga Insights Sales Techs, um mapa com 150 startups que podem ajudar na digitalização, inovação e otimização para marketing e vendas, dicas para aumentar a performance, tendências, cases de sucesso, entre outros aspectos. 

O mapeamento mostra que a digitalização – movimento acelerado pela crise do COVID-19 – foi essencial para que o segmento pudesse facilitar integrações, entender o cliente e melhorar sua experiência, fazer uma prospecção mais inteligente, utilizar insumos atualizados para conquistar um lead qualificado, aumentar a performance dos vendedores e usar a tecnologia para aprimorar diversas áreas como data-driven, por exemplo.

Entre os destaques do levantamento estão startups da comunidade iDEXO como: 4Shark, Conpass, Digibee, Growth Hackers, LAHAR, Netlex, Octadesk, Oncase, Ramper, Rocket.Chat, Runrun.it e Skore. Elas oferecem soluções que vão desde automação de marketing, comunicação, gestão e prospecção digital para o mercado B2B, até funcionalidades como aquisição de leads, follow up de vendas, engajamento de usuários e software de automação.

Para se ter uma ideia, dados de um relatório do LinkedIn,mostram que  nos últimos dois anos, o uso de ferramentas de sales intelligence (inteligência de vendas) cresceu de 28% para 43% nas organizações; ao passo que 77% dos vendedores estão investindo em vendas e reuniões virtuais e outros 51% já utilizam dados para um aumento da performance de vendas.

“Prospectar, converter e fidelizar um cliente é a representação mais objetiva da simbiose entre as áreas de marketing e vendas, que conversam por meio de um grande funil. Ser mais inteligente no entendimento do seu setor, trabalhar o cliente até a sua conversão e retê-lo com satisfação para ampliar a captura de valor, exigem, muitas vezes, dominar múltiplas variáveis, tempo e movimentos para cruzá-las da melhor forma. E apresentar todo esse processo pela ótica de grandes profissionais do ecossistema é o grande diferencial desse estudo”, explica o diretor de inteligência e estudos de mercado e Startup Hunter da Liga Ventures, Raphael Augusto.

Ainda dentro desse prisma, a transformação digital no setor ainda é encarada como um desafio. É o que afirma o vice-presidente de Estratégias de Negócios Digitais da TOTVS, Juliano Tubino. “A maior parte das empresas evoluíram em relação ao nível do uso de ferramentas, mas precisam avançar na medição digital da eficiência dos processos”. Segundo ele,  ainda vemos no mercado uma análise da eficácia dos times de vendas e de marketing centrada em métricas tradicionais – produção, crescimento de vendas e receita líquida; os quais são pontos que continuam relevantes, mas, hoje, indicadores como CAC (Custo de Aquisição de Cliente), Nível de Conversão, MQL (Lead Qualificado de Marketing – Marketing Qualified Lead) e SQL (Lead Qualificado de Vendas – Sales Qualified Lead) devem ser medidos e poderão avançar com o crescimento gradativo da automação digital.

Já para o diretor geral do iDEXO, Vítor Andrade, braço de inovação aberta e conexão com startups da TOTVS, as iniciativas de marketing e vendas no Brasil estão ajudando no processo de amadurecimento do mercado. “As startups fomentam uma cultura data-driven, permitindo que as empresas tomem melhores decisões baseadas em dados. Se antes, para ter esses recursos, as empresas tinham de investir valores consideráveis, hoje é possível ter acesso a soluções eficientes por um baixo custo. Outro ponto importante é a possibilidade de associar o trabalho humano – de inteligência, criação de conteúdo e de estratégias de marketing – a uma execução que pode ser feita de forma mais automatizada”, finaliza Andrade.

Confira o estudo e o mapa completos de Sales Tech aqui 

Assine a nossa newsletter!